O protagonismo de Luíza

O protagonismo de Luíza

Considerada uma das 60 personalidades mais poderosas do país, a administradora Luíza Trajano deu uma aula de empreendedorismo e falou do valor das empresas familiares nos dias de hoje

Luiza Helena Trajano é presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza e do Mulheres do Brasil, grupo com cerca de 20 mil mulheres que se uniram com um objetivo em comum: melhorar o país.

Terceiro nome brasileiro no World Retail Hall ofFame – lista das mais prestigiadas personalidades do varejo no mundo –, Luíza é formada em Administração e começou a trabalhar aos 12 anos de idade como vendedora, em um pequeno comércio da família em Franca, no interior de São Paulo. A loja se transformou num dos maiores grupos varejistas do país, que hoje é citado em rankings como a segunda melhor empresa para se trabalhar no Brasil.

 

RBA – Luíza, como foi transformar aquela pequena loja em Franca em tudo isso que o Magazine Luíza é hoje?

Luiza – Primeiro: a família precisa querer isso. E quando a família quer, ela aceita muita coisa, não perde o dinheiro da empresa, deixa investido no negócio. Segundo: ter uma equipe alinhada, propósito claro, não pensar só no dinheiro e querer que o empreendimento dure cem anos.

 

RBA – O que você considera que foi fundamental até aqui?

Luiza – Acho que tudo muda, menos os princípios de transparência e de honestidade. O Magazine Luiza, nesses 60 anos, nunca pagou um título atrasado e nunca pediu prorrogação, o que é muito normal no varejo. Em qualquer lugar que você for, vai ver que os nossos inegociáveis são princípios básicos muito fortes e que mantêm mesmo hoje, com 900 lojas, um faturamento imenso com crescimento muito grande. Agora, a gente muda muito de tecnologia.

 

RBA – Seus filhos dizem que você tem uma frase muito interessante: “Não sabe o que vai fazer? Faz Administração. Vai fazer Medicina? Faz Administração primeiro.” Você acha que a gestão e o profissionalismo são essenciais numa empresa?

Luiza – Eu adoro o curso de Administração porque ele dá uma base geral. Hoje, duas coisas vão fazer a diferença: conhecimento e fazer acontecer. Não adianta ter muito conhecimento e ficar fazendo planos, planejamento. Tem que ser igual às startups. Eu sou bem parecida. Tem uma ideia? Tem um conhecimento? Põe em prática rápido e vai redirecionando-a rápido também. Conhecimento e fazer acontecer são duas coisas que têm que andar juntas.

 

RBA – No ano passado, o faturamento do Magazine Luíza foi superior a R$ 14 bilhões. A senhora atribui esse resultado positivo ao ambiente familiar cultivado na empresa?

Luiza – Sim! Como viemos de família e conseguimos crescer e manter esse ambiente, nós temos uma regra de ouro muito simples: faça para o outro o que gostaria que fizesse a você. Assim, você já resolve 90% das suas relações.

Confira a matéria completa, aqui.

Deixe uma resposta

Fechar Menu